20/11/2017

Divulgação - Artista Tiago Azevedo lança livro de contos

Tiago Azevedo lança livro de contos 
Pintor e arquitecto lança livro e expõe pela primeira vez obras de pintura a óleo em Portugal
Lisboa, 13 de novembro 2017 – Tiago Azevedo, pintor e arquitecto português com extensa carreira internacional, apresentará em Lisboa o seu primeiro livro, intitulado “Os Contos dos Irmãos Grimm”. Com apenas 32 anos, o artista já foi convidado a exibir os seus quadros a óleo em Paris, Nova Iorque, Roma, Cannes e Dubai e pretende agora inaugurar o seu percurso como autor em Portugal. O lançamento do livro será no dia 16 de novembro às 18h30, no Palácio Foz, onde algumas das suas obras originais também estarão expostas.
Ainda que já não viva há várias décadas nos Açores, onde nasceu, a mística da neblina e das paisagens do arquipélago continua a ser uma das suas grandes fontes de inspiração e criatividade. Este elemento, em conjunto com o folclore alemão que veio a descobrir nos últimos anos, com as suas tradições, superstições e lendas, levou Tiago a pintar uma série de quadros a óleo, que decidiu agora publicar, juntamente com uma tradução da versão original dos contos para português. Sobre o livro, Tiago Azevedo comenta: “Este livro surgiu do desejo de compilar as minhas pinturas a óleo num formato que pudesse transmitir a componente literária da minha obra, neste caso os contos dos Irmãos Grimm. Sempre fui um apaixonado por fábulas, pelo imaginário e pela fantasia inerente a estas histórias. Neste livro condenso toda a magia dos contos através das minhas pinturas, retratando as suas personagens da forma como sempre as imaginei. Estando próximos do Natal, a minha época favorita do ano, torna-se ainda mais especial. Sinto o livro como uma prenda que partilho com as pessoas.” No seu canal de YouTube, Tiago Azevedo publica com frequência vídeos com as suas técnicas de pintura, bem como biografias dos grandes mestres de arte, desde Frida Kahlo até Salvador Dali e Albrecht Dürer, numa série de episódios dedicados a historia de arte. O livro, editado pela Chiado Editora, será lançado dia 16 de novembro de 2017 no Palácio Foz, em Lisboa, e custa 16€. Estará à venda em diversas livrarias e pontos de venda como Fnac, Bertrand, Wook, Almedina, Bulhosa e El Corte Inglés. O ebook poderá ser encontrado na Amazon, Apple iBookstore, Barnes & Noble, Sony, Kobo, Diesel ebook Store e Baker & Taylor.




Sobre Tiago Azevedo
Tiago Azevedo é um pintor, autor e arquitecto português. Depois de trabalhar como arquitecto em Lisboa, no Porto e em Munique, Tiago tem nos últimos anos exposto as suas telas a óleo em exposições um pouco por todo o mundo, desde Nova Iorque ao Dubai, passando por Paris e Roma. Neste último caso expos numa galeria pertencente ao Vaticano, o que o artista considera “uma combinação perfeita tendo em conta o caráter religioso de algumas das suas obras”. Tiago Azevedo combina a pintura clássica a óleo com conceitos contemporâneos do pop surrealismo e a sua inspiração emerge de temas religiosos e do mundo fantástico, como aquele dos contos folclóricos alemães dos Irmãos Grimm ou do dinamarquês Hans Christian Andersen. Desde o início do seu trabalho em arquitectura, a arte barroca é um conceito que apaixona Tiago, pelo seus fortes contrastes e dramatismo, conceitos também presentes na sua pintura a óleo.


Porto Editora - Crianças desafiadas para Conto Infantil Ilustrado Correntes D’Escritas

 

Nova edição do prémio literário chega a escolas do 1.º ciclo do país. Livro com os contos vencedores de 2017 já disponível nas livrarias. 

 Estimular a criação literária, especialmente o desenvolvimento da comunicação escrita e criativa – é o que se propõe com o PRÉMIO CONTO INFANTIL ILUSTRADO CORRENTES D’ ESCRITAS | PORTO EDITORA, que entra agora na sua nona edição.

Instituído no dia 1 de setembro de 2008, este prémio destina-se a galardoar, anualmente, um Conto Infantil Ilustrado inédito, em língua portuguesa, realizado por alunos – conto e ilustração – que frequentem o 4.º ano de escolaridade do 1.º Ciclo do Ensino Básico.
Os textos originais e respetivas ilustrações deverão ser enviados até meados de janeiro de 2018 para a organização do Correntes D’Escritas que, juntamente com a Porto Editora, constituirá um júri que avaliará os trabalhos e decidirá os vencedores, a serem conhecidos na próxima edição daquele festival literário, a realizar de 20 a 24 de fevereiro de 2018. O regulamento desta edição do PRÉMIO CONTO INFANTIL ILUSTRADO CORRENTES D’ ESCRITAS | PORTO EDITORA está disponível aqui .

Livro com contos vencedores de 2017 disponível nas livrarias

Entretanto, chegou às livrarias o mais recente volume do livro Correntes D’Escritas – Contos infantis ilustrados , publicado pela Porto Editora, que reúne os trabalhos vencedores de 2017.

Neste volume, o destaque vai para os alunos da Escola Básica José Manuel Durão Barroso, de Armamar, que conquistaram os 1.º e 3.º lugares com, respetivamente, os contos Uma Limpeza Necessária e A História que o Miki contou . O segundo lugar foi atribuído ao conto Fábrica de Corações , escrito pelos alunos do Externato Passos Manuel, de Lisboa, tendo sido atribuída uma Menção Honrosa de Ilustração para o trabalho O Dicionário da Amizade , apresentado pelos alunos da Escola Básica Bom Pastor, do Porto.
De referir que, esta semana, numa sessão organizada pela Escola Básica José Manuel Durão Barroso (ver vídeo abaixo), os alunos autores dos contos premiados receberam exemplares do livro entregues pelos responsáveis deste prémio. Ao mesmo tempo, a Porto Editora ofereceu este novo volume de Correntes D’Escritas – Contos infantis ilustrados aos estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo de todo o país. 



Porto Editora - Últimos dias para sugerir a sua Palavra do Ano 2017


A 1 de dezembro anunciam-se as dez palavras finalistas que serão submetidas à votação dos portugueses. 

Faltam duas semanas para conhecer as candidatas a PALAVRA DO ANO ® 2017 . Até 30 de novembro, os portugueses podem continuar a apresentar as suas sugestões através do site www.palavradoano.pt , o que vem acontecendo desde maio passado.

As propostas feitas através do site da iniciativa serão ponderadas com o trabalho de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa feito pela Porto Editora , tanto nos meios de comunicação e redes sociais, como no registo de consultas nos dicionários online e mobile, para a definição da lista de 10 candidatas a PALAVRA DO ANO ® 2017 , que será anunciada a 1 de dezembro, sexta-feira.
Esta é a nona edição de uma iniciativa com a marca registada da Porto Editora que tem como principal objetivo sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, património vivo e precioso de todos os que nela se expressam, acentuando, assim, a importância das palavras e dos seus significados na produção individual e social dos sentidos com que vamos interpretando e construindo a própria vida. 
Nos anos anteriores, o publico português elegeu as seguintes palavras: "esmiuçar" (2009), "vuvuzela" (2010), "austeridade" (2011), "entroikado" (2012), "bombeiro" (2013), "corrupção" (2014), "refugiado" (2015) e "geringonça" (2016). Nos primeiros dias de janeiro, será conhecida a PALAVRA DO ANO ® 2017 , escolhida pelos portugueses.

A PALAVRA DO ANO ® em Angola e Moçambique
Esta é, também, a segunda edição da iniciativa em Angola e Moçambique. A responsabilidade desta iniciativa é da Porto Editora e das empresas que integram este grupo editorial, a Plural Editores Angola e a Plural Editores Moçambique , que contam com o apoio do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua naqueles países.

Seguindo o mesmo calendário da iniciativa em Portugal, os angolanos vão eleger a PALAVRA DO ANO ® através do site www.palavradoano.co.ao . Em Moçambique, a lista das dez finalistas já é conhecida e a votação decorre até ao final de novembro em www.palavradoano.co.mz . A 4 de dezembro será conhecida a PALAVRA DO ANO ® de Moçambique, escolhida a partir de "bacela", "caro", "censo", "ciclone", "guevar", "jobar", "oculta", "ponte", "trégua" e "tseke". 


Novidade: Urso-Pardo em Portugal - Crónica de uma Extinção

Urso-pardo em Portugal - Crónica de uma Extinção
Paulo Caetano e Miguel Brandão Pimenta
Nº de páginas: 194
PVP: 27,50

Encadernação: Capa Dura
- Formato: 22,5cmX31cm
 
Ao longo das páginas deste livro, Paulo Caetano e Miguel Pimenta contam os pormenores de uma história inédita: como o urso-pardo viveu, sobreviveu e se extinguiu em território português.
    
Esta é a crónica da extinção do maior predador europeu, um animal que desapareceu das nossas serranias há pouco menos de 200 anos devido às transformações no habitat e à perseguição de que foi alvo ao longo dos séculos.
 
Através das histórias e fotografias destes dois investigadores iremos mergulhar no passado do urso em Portugal revelando algumas das suas facetas como as ameaças que enfrentou, a distribuição aproximada, a relação histórica e cultural com o Homem e, simultaneamente, resgatar a memória do animal que é hoje um símbolo das florestas europeias.


Bruno Vieira Amaral Premiado no Tábula Rasa

Festival Literário de Fátima distingue o autor com o Prémio Ficção 2016-2017

Bruno Vieira Amaral foi distinguido pelo Festival Literário de Ficção com o prémio Ficção 2016-2017 com a obra «Hoje Estarás Comigo no Paraíso». Com o tema «A Literatura e o Sagrado», a segunda edição do Tábula Rasa que distingue autores com obras em quatro categorias - ficção, poesia, filosofia e literatura infantil - termina com a entrega dos prémios no próximo Sábado, 18 de Novembro, no qual o autor estará presente.

Esta não é a primeira vez que Bruno Vieira Amaral é premiado: foi distinguido anteriormente com o Prémio PEN CLUBE Narrativa, Prémio Literário Fernando Namora e Prémio Literário José Saramago 2015 pelo seu livro «As Primeiras Coisas».

A Quetzal Editores publicou em 2013 o primeiro romance do autor, «As Primeiras Coisas», e em 2017 «Hoje Estarás Comigo no Paraíso», estando previsto um novo livro do autor para Janeiro de 2018, com o título «Manobras de Guerrilha».

Sinopse de «Hoje Estarás Comigo no Paraíso»: 
Em «Hoje Estarás Comigo no Paraíso», Bruno Vieira Amaral desenha uma investigação do assassínio do primo João Jorge - morto no bairro em que ambos viviam no início dos anos 80 - e usa essa investigação como estratégia de recuperação e construção da sua própria memória: a infância, a família, o bairro e as suas personagens, Angola antes da Independência e nos anos que se lhe seguiram, e a figura (ausente) do pai. Na reconstituição da personalidade e do percurso da vítima, da noite em que tudo aconteceu, na apropriação que o narrador faz de uma ligação com João Jorge (mais ou menos forjada pelos mecanismo da memória) - e de que faz parte essa busca mais ampla das dobras do tempo e do esquecimento - são utilizados os mais diversos materiais: arquivos da imprensa da época, arquivos judiciais, testemunhos de amigos e familiares, e a literatura, propriamente dita - como uma possibilidade de verdade, sempre.
 
Sobre o autor:  
Bruno Vieira Amaral nasceu em 1978. Formado em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE, é crítico literário, tradutor, e autor do Guia Para 50 Personagens da Ficção Portuguesa e do blogue Circo da Lama. Em 2002, uma temerária incursão pela poesia valeu-lhe ser selecionado para a Mostra Nacional de Jovens Criadores. Colaborou no DN Jovem, revista Atlântico e jornal i. 

 

Novidades Topseller nas livrarias

Vidas Finais, de Riley Sager, foi a grande aposta internacional deste ano. 
Vendido para mais de 20 países ainda em manuscrito, foi publicado em outubro passado pela Topseller.

Agora vê os seus direitos cinematográficos serem comprados pela Universal Pictures.

A Anonymous Content será a produtora responsável pela adaptação ao grande ecrã desta história. Do seu repertório fazem parte sucessos como Being John Malkovich , Babel ou Eternal Sunshine of the Spotless Mind , e séries como 13 Reasons Why . A Anonymous Content foi já distinguida com um Oscar com o filme Spotlight , e com um Globo de Ouro com o filme The Revenant . 

Tudo boas razões para que seja um dos filmes mais aguardados dos próximos tempos, com um enredo que Stephen King apelidou de «o grande thriller de 2017».
 
Sobre o livro: 
Para sobreviver a um assassino, é preciso ter um instinto assassino.
Há dez anos, Quincy Carpenter, uma estudante universitária, foi a única sobrevivente de uma terrível chacina numa cabana onde passava o fim de semana com amigos. A partir desse momento, começou a fazer parte de um grupo ao qual ninguém queria pertencer: as Últimas Vítimas. Desse grupo fazem também parte Lisa Milner, que perdeu nove amigas esfaqueadas na residência universitária onde vivia, e Samantha Boyd, que enfrentou um assassino no hotel onde trabalhava.
As três raparigas foram as únicas sobreviventes de três hediondos massacres e sempre se mantiveram afastadas, procurando superar os seus traumas. Mas, quando Lisa aparece morta na banheira de sua casa, Samantha procura Quincy e força-a a reviver o passado, que até ali permanecera recalcado. Quincy percebe, então, que se quiser saber o verdadeiro motivo por que Samantha a procurou e, ao mesmo tempo, afastar a polícia e os jornalistas que não a deixam em paz, terá de se lembrar do que aconteceu na cabana, naquela noite traumática.
Mas recuperar a memória pode revelar muito mais do que ela gostaria.


A Luz sobre as Trevas 
Páginas: 384 
PVP: 21,98€

«Os autores ilustram bem as lições da Revolução Francesa para os movimentos democráticos de hoje em dia.» — Kirkus Reviews
«Os fãs de Alexandre Dumas e Victor Hugo irão devorar esta história sobre heroísmo, traição e ​aventura.» — Library Journal
«Esta é uma história sobre a Revolução Francesa que começa com a nossa cabeça ​na ​​guilhotina à medida que vemos a velocidade a que a lâmina vem na direção do nosso pescoço. ​E isso não é nada, comparado com o ritmo e o drama do que se segue.» — Tom Wolfe
«Um romance maravilhoso que captura o espírito da Revolução Francesa e os temas​ ​
intemporais do amor e da verdade.» — Steven Pressfield
«Allison e Owen Pataki sabem exatamente como escrever um romance histórico envolvente concentrado nas histórias que decorrem no cenário épico da Revolução Francesa.» — Melanie Benjamin

Sinopse:
Um romance sobre amor, coragem e sacrifício na Revolução Francesa.
Três anos após a tomada da Bastilha, as ruas de Paris fervilham com os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Para assegurar os direitos recém-conquistados, o governo revolucionário empreende uma perseguição a todos os inimigos da Revolução, entre os quais se incluem os membros da aristocracia.
Estes são acusados de traição e condenados à guilhotina. Vive--se, assim, o Período do Terror da Revolução Francesa.
Movido por um sentido de dever para com a República, Jean-Luc St. Clair, um jovem advogado idealista, muda-se para Paris com a família. Aí, o seu caminho cruza-se com o de André Valière, um nobre que abdicou do seu título e se alistou no exército para evitar a execução, e o de Sophie de Vincennes, uma bela e jovem viúva aristocrática que embarca numa luta pela sua independência.
À medida que a busca incessante por justiça alimenta a sede de sangue nas ruas, Jean-Luc, André e Sophie são forçados a questionar as decisões de quem detém o poder. Conseguirão eles fazer vingar os ideais da Revolução em que tanto acreditam?

Sobre os autores:
Allison Pataki é autora bestseller do New York Times de romances históricos. Formada com distinção na Universidade de Yale, com especialização em Inglês, dedicou-se durante vários anos à escrita para televisão e agências de notícias online. É colaboradora regular do Huffington Post e da FoxNews.com, e é membro da Historical Novel Society, uma associação literária dedicada à promoção e divulgação da ficção histórica. Allison é casada e vive em Chicago.
Owen Pataki é o irmão mais novo de Allison. Formou-se em História na Universidade de Cornell, tendo posteriormente frequentado um Curso de Cinema em Londres. Entre uma formação e outra, serviu o exército americano. Atualmente, vive em Nova Iorque, onde trabalha como argumentista e realizador. A Luz sobre as Trevas é o seu primeiro romance.

 ll
Maria da Fonte: A Rainha do Povo 
Páginas: 304 
PVP: 17,69€ 

​Dos pais, José Fialho Gouveia e Maria Helena, herdou o dom da palavra e o jeito para a escrita. Sempre a fervilhar com ideias para livros, Maria João Fialho Gouveia concretizou em 2013 o seu primeiro projeto, colocando todo o seu amor num livro dedicado ao seu pai: Fialho Gouveia : Biografia Sentimental .
Ainda em 2013, entregou a sua paixão por História às páginas de
D . Francisca de Bragança : A Princesa Boémia , o seu primeiro romance histórico, muito bem recebido pela crítica e leitores amantes do género – já na 3.ª edição. Seguiu-se As Lágrimas da Princesa , romance que conta a pouco conhecida história de Aldegundes de Bragança, a quinta filha do rei D. Miguel, tia de D. Duarte Nuno de Bragança, pai do atual pretendente à Coroa portuguesa. Em outubro de 2016 chegou às livrarias Inês , um romance maravilhosamente bem escrito sobre um amor maior do que a vida, e já em abril deste ano os leitores foram presenteados com um romance entre espiões na Segunda Guerra Mundial, a primeira experiência da escritora com personagens e eventos ficcionados, num ambiente histórico real, com Sob os Céus do Estoril . Agora dá vida e voz às lutas e amores ilegítimos de uma mulher corajosa: Maria da Fonte.
 
Sobre o livro:
Após as Guerras Liberais que assolaram Portugal durante o século XIX, as decisões do governo de Costa Cabral não são bem recebidas. Os impostos aumentam, as liberdades do povo são atacadas e a Igreja é o próximo alvo. Atenta aos gritos de revolta do seu povo, que também são os seus, e às ideias miguelistas dos seus senhores, está a jovem Maria Angelina.
Despedida por se ter deixado apaixonar, Maria regressa à sua aldeia da freguesia de Fontarcada, na Póvoa de Lanhoso, jurando viver por si, sem ninguém a cortar-lhe as asas. Os ideais, no entanto, não desaparecem, e, quando o governo proíbe o povo de enterrar os mortos nas igrejas, Maria decide tomar medidas. Lideradas por ela e munidas das armas possíveis, como as ferramentas de trabalhar a terra, as mulheres do Minho fazem justiça pelas próprias mãos. Maria de Fontarcada torna-se Maria da Fonte e ganha os contornos de uma líder popular.
Conforme a revolta vai grassando pelo país, forçando o governo a ser demitido e o exército a entrar em cena, Maria da Fonte transforma-se num mito, surpreendendo até aqueles que com ela privavam. Esta é a história desse mito. E da mulher que está na sua origem.
 
Sobre a autora:
Nasceu em Lisboa a 14 de Novembro de 1961, mas aos dois dias de idade já vivia no Estoril, onde cresceu e estudou. Cursou Comunicação Social na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, e mais tarde Línguas, sendo diplomada pela Universidade de Cambridge. Rendida ao apelo da História, porém, regressou anos mais tarde aos bancos da Universidade Aberta, para estudar a disciplina que sempre a encantara.
Começou a sua carreira jornalística aos 18 anos, passando por todas as áreas da comunicação, da imprensa escrita à televisão. Entretanto, experimentou a docência, lecionando Inglês no ensino básico. Neta de professora, cedo descobriu o gosto pela leitura e pela escrita, sendo apanhada frequentemente pela avó a ler à luz da lanterna, debaixo dos lençóis.

14/11/2017

Novidade Booksmile - Puzzles 3D: o fantástico mundo dos aviões e dos comboios



Adoras aviões e comboios? Então não podes perder por nada estes livros (em forma de caixa) que te explicam tudo sobre a história destes dois meios de transporte. No fim trazem ainda a oferta de um avião e de um comboio em 3D para montares e brincares! Vão ser horas de diversão garantidas! 
Viaja, explora e aprende
Nesta fantástica aventura, vais aprender tudo sobre vários tipos de aviões e descobrir como é que eles funcionam. Além disso, vais conhecer a impressionante história dos seus inventores e perceber como é que o primeiro avião levantou voo.​ 
No final, podes construir o espetacular triplano pilotado pelo famoso aviador Barão Vermelho.
 
Viaja, explora e aprende
Embarca nesta extraordinária aventura pelos caminhos de ferro e desvenda as maravilhas de um dos meios de transporte mais usados em todo o mundo. Fica a saber de que forma funcionavam as primeiras locomotivas e que velocidades atingem os comboios modernos, entre tantas outras curiosidades. No final, constrói o modelo e observa todos os detalhes da incrível locomotiva!


Belgravia, de Julian Fellowes



Opinião:
Fã de Downton Abbey, e sendo este o autor o criador da mesma, não podia deixar de ler Belgravia, apesar de que neste livro não se foca tanto nos criados, mas também têm um lugar de destaque, pois eles melhor do ninguém conheciam os segredos dos patrões.
Posso afirmar que é um romance histórico que arrebata logo de inicio, somos transportados para Inglaterra durante o século XIX, onde decorre a batalha de Waterloo, e é precisamente um acontecimento trágico ocorrido nessa altura que vai mudar a vida de todos os personagens.  
A história gira em torno de três famílias, duas foram devastadas com a perda de ente queridos, são os Trenchard e os Bellasis, tiveram de lidar com a dor, o sofrimento, o que fez com que no fundo moldasse a vida de cada um, sendo de classes sociais diferentes, quis o destino que as suas vidas se entrelaçassem sem saberem, uma delas guardou um segredo durante mais de vinte cinco anos, e quando se descobre, as repercussões podem abalar estas famílias, mas também pode não agradar a outros, ao ponto de não o quererem ver revelado, pois existe no seio de cada família ambição, intrigas, traição, vingança e romance. 
O enredo gira em torno desse segredo, e vai sendo desvendado ao longo das páginas, com surpresas pelo meio, através da escrita do autor tão fluída, e descritiva, onde nenhum detalhe é deixado ao acaso, a forma como descreve a sociedade na altura, como viviam, a atmosfera, os bailes, como se vestiam. E depois claro os personagens, bem construídos e caracterizados, capta a essência de cada um deles, é de destacar as personagens femininas, que são fortes e determinadas, e tudo isso é passado para o leitor de uma forma maravilhosa, sentimo-nos dentro desta época.
É realmente um romance histórico muito cativante, uma delicia para quem gosta deste género literário. Li num ápice, recomendo sem dúvida alguma.

Podem ler mais sobre o livro no site da Editorial Presença aqui


Novidades Topseller nas livrarias

O Sétimo Mandamento 
Páginas: 400 pp.
PVP: 17,69€

Depois da publicação do sucesso Dominus, Tom Fox oferece uma nova perspetiva sobre o conceito da fé e da natureza dos milagres, que agradará muito aos leitores.

Sinopse:
Serão todas as profecias verdadeiras?
Durante uma escavação arqueológica realizada no centro de Roma, é encontrada uma antiga tábua de argila com sete profecias inscritas em acádio, uma língua há muito extinta. A primeira profecia previa que aquele que encontrasse a tábua morreria de forma funesta e célere. E assim acontece. Quando, uma a uma, as profecias se vão realizando, o pânico e o caos instalam-se na cidade.
O relógio não para.
Numa corrida contra o tempo, em que cada segredo esconde uma mentira, e em que estranhos versos de uma tábua antiga parecem conter as respostas, cabe a Angelina Calla, especialista em acádio, e a Ben Vordyx, dos Arquivos Secretos do Vaticano, descobrir o que está por detrás desta maldição.
Será tudo isto real?

Sobre o autor:
Tom Fox é um conhecedor profundo dos meandros do Cristianismo, resultado de muitos anos de estudos académicos.
Sendo uma autoridade respeitada no assunto, Tom Fox dedicou-se recentemente à exploração de novas histórias, que se destacam devido à sua dimensão misteriosa.
Dominus foi o seu sensacional romance de estreia, publicado pela Topseller em 2016.
 

O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios 
Páginas: 384 
PVP: 18,79€
 
Autor vencedor do Phillip K. Dick Award e quatro vezes do British Fantasy Award, Michael Marshall Smith tornou-se no autor com mais nomeações até ao momento.

O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios é uma obra com tom mordaz e irónico, num estilo semelhante à série Lemony Snicket.

Sinopse:
Imagine, caro leitor, a oficina de um relojoeiro.
Imagine ainda que esta história se passa num mundo banal e que o relojoeiro é, também ele, um homem normal… com um talento extraordinário.
Até ao dia em que alguém entra na oficina com o mais invulgar dos pedidos: uma máquina para converter a maldade do mundo em energia.
Quem (pergunta-se o leitor) quererá esta bizarra extravagância? Ora, ninguém mais do que o próprio Diabo… Que, como se sabe, tem formas muito persuasivas de obter o que deseja.
Passaram-se séculos, e o Diabo e a sua máquina estão a ter problemas. É então que, acidentalmente (embora se suspeite de uma certa influência maligna), a pequena e ingénua Hannah Green é arrastada para uma tenebrosa aventura maquinada pelo Diabo.
Preste bem atenção, estimado leitor, pois aqui começará também a sua história, num mundo onde as aparências enganam e as coincidências não existem.

Sobre o autor:
Michael Marshall Smith é o pseudónimo usado por Michael Marshall, guionista inglês e autor bestseller de thrillers e literatura fantástica.
Michael Marshall Smith venceu quatro vezes os prémios atribuídos pela British Fantasy Society, tornando-se o autor com mais nomeações até ao momento, e ainda recebeu o August Derleth Award para Melhor Romance, em 1995, e o Philip K. Dick Award, em 2000.

O seu livro, The Intruders, foi adaptado para série televisiva com o mesmo nome, em 2014.
Saiba mais sobre o autor em: www.michaelmarshallsmith.com.