29/03/2017

Paula Lobato de Faria estreia-se na literatura com «Imaculada», um romance de época ambientado nos anos 50

 
 Este romance é passado em Portugal, no ano de 1956, época em que coexistiam dois mundos: o da bonomia, onde o tempo corria devagar nos lares do país, numa ingenuidade generalizada (por vezes falsa, por vezes genuína) sob o lema «Deus, Pátria e Família»; e o da ditadura de Salazar, da censura e da PIDE, onde os que tinham por objetivo derrubar o regime podiam ser presos, torturados e mortos. (…) Na história contada neste livro, os universos paralelos vão-se encontrar, confrontar e interagir, no seio de uma família burguesa e conservadora do interior (do país). As palavras são de Paula Lobato Faria, que se inspirou em memórias antigas e em histórias de família para fazer nascer o seu primeiro romance.

 
Imaculada
Paula Lobato de Faria
Páginas: 312 
PVP: 16,00€
Disponível a partir de 6 de Abril
 
Romance de estreia de Paula Lobato de Faria e a grande aposta literária desta editora neste trimestre.

Sobre o livro:
Habilmente ambientado no Portugal profundo dos anos 50, Imaculada é uma obra na linha dos nossos melhores romances de época e um retrato crítico da condição humana. Através da história de uma família, os Correia, a autora desenha o retrato de um país amordaçado, cheio de tabus, vazios e sombras, um Portugal que pouco ousa desafiar convenções ou confrontar um destino que parece traçado.
O mesmo sucede na vida de Cristiana, menina da província, filha única de Alexandrina e João Manuel, que recusa assistir perplexa aos caprichos que a sorte (e a família) lhe prepararam. Na vida dela, tal como na do país, há sonhos por cumprir, esperança e uma dignidade que é vital.

Sobre a autora:
Paula Lobato de Faria, doutorada em Direito e professora da Universidade Nova de Lisboa, tem várias publicações internacionais nas áreas do direito da saúde, bioética e direitos humanos, mas este é o seu primeiro livro de ficção.
Mais sobre a autora aqui.


 

Porto Editora: A revolução saudável de Jamie Oliver em receitas para toda a família

Título: Receitas Saudáveis para toda a Família 
Autor: Jamie Oliver 
Págs.: 288 
PVP: 24,50 € 

A revolução saudável de  Jamie Oliver em receitas para toda a família
Novo livro do chef mais famoso do mundo
 

A partir de dia 3 de abril, não há desculpa para que as refeições em família não sejam deliciosas e também saudáveis: chega a todas as livrarias o novo livro de Jamie Oliver, Receitas Saudáveis para toda a Família. Pequeno-almoço, sopas, massas e risotos, úteis refeições rápidas (que se preparam em menos de 25 minutos), clássicos saudáveis e soluções para confecionar com antecedência e congelar são apenas algumas das sugestões partilhadas pelo chef mais famoso do mundo. Seguindo a filosofia e conceitos que expôs em Receitas Saudáveis (livro que contou com a colaboração de uma equipa de médicos e especialistas em nutrição), as propostas de Jamie Oliver são deliciosas, nutricionalmente equilibradas e criadas para terem um impacto positivo na saúde.  Um livro perfeito para transformar os momentos familiares à mesa e contribuir para uma vida mais feliz e saudável.

JAMIE APRESENTA O LIVRO 
A palavra «família» tem um significado diferente para cada um de nós, quando falamos de comida. Para mim, está associada a comida aconchegante, reconfortante e feita para ser partilhada, o que muitas vezes significa que é também comida que não nos faz tão bem. Mas não neste livro! Aqui incentivamo-lo a apreciar boa comida que o alimenta todos os dias, quer a deguste sozinho, com a família ou os amigos. Encontrará neste livro informação nutricional em todas as receitas; procurei também incluir, para todos os almoços e jantares, pelo menos duas porções de fruta e legumes por prato.  Cada receita foi criada com a intenção clara de a tornar saudável e este livro é complementado com um último capítulo sobre saúde e bem-estar, para lhe dar a si e à sua família tudo aquilo de que precisam para se sentirem em plena forma e terem uma vida mais feliz e mais saudável. 

O AUTOR 
Jamie Oliver é um fenómeno global em matéria de alimentação e promoção de campanhas. Com uma carreira de mais de 17 anos na televisão e na edição de livros, já inspirou milhões de pessoas a gostarem de cozinhar e a preferirem alimentos frescos. A obra social que patrocina, a Jamie Oliver Food Foundation, lidera uma contínua Revolução Alimentar a nível global, com o objetivo de promover a saúde e a felicidade de todos através da alimentação. Jamie começou a cozinhar aos 8 anos no pub dos pais, o CrickIeters, em Clavering, no Essex. Quando terminou os estudos iniciou uma carreira profissional como Chef que o levou até ao River Café, onde foi descoberto por uma empresa produtora de televisão, e assim nasceu The Naked Chef. Em 2001, Jamie deixou The Naked Chef quando abriu em Londres o restaurante Fifteen, que foi o início de um percurso de 15 anos a preparar jovens sem emprego para carreiras profissionais na indústria da restauração, em Londres, na Cornualha e em Amesterdão. Anos mais tarde, liderou um movimento que reivindicava mais qualidade nas refeições das cantinas escolares do Reino Unido e que trouxe grandes mudanças ao sistema alimentar das escolas britânicas. A sua Fundação implementa, no Reino Unido e no estrangeiro, programas de educação alimentar nos ensinos básico, secundário e universitário, e também junto das comunidades mais carenciadas através dos centros do Jamies’s Ministry of Food. As suas campanhas nacionais e internacionais empenham-se em revolucionar os hábitos alimentares dos cidadãos e das suas famílias. Todos os anos, no Food Revolution Day (Dia da Revolução Alimentar), a Fundação celebra o sucesso e chama a atenção para tudo o que precisa de ser melhorado na indústria alimentar, e não só, procurando galvanizar os governos e a indústria a apoiar a promoção de uma mudança positiva na educação alimentar e na saúde pública. Entre os famosos restaurantes do Jamie, destacam-se o Barbecoa e o conjunto de restaurantes Jamie’s Italian, no Reino Unido e no estrangeiro. A sua extensa gama de produtos alimentares e não-alimentares é mundialmente reconhecida. Além de colaborar no Jamie Magazine, Jamie comunica com o seu público através de inúmeras plataformas digitais, criando conteúdos e aparecendo em exclusivo no jamieoliver.com, nos seus canais do Jamie Oliver’s Food Tube, no YouTube, e num número crescente de redes sociais. Jamie publicou até à data 17 livros de cozinha, todos eles campeões de vendas e todos eles acompanhados de programas na televisão. Jamie vive em Londres e no Essex, com Jools, a sua mulher, e com os filhos. 

 

Novidades Nascente

Com mais de 1 milhão de livros vendidos apenas no México e adotado como leitura universitária, O Escravo: Um Hino à Vida é uma obra sobre a liberdade, o perdão e a superação pessoal, destinada a tornar-se um clássico espiritual dos nossos tempos. O autor, Anand Dilvar está disponível para entrevistas. 
Após sofrer um terrível acidente, o protagonista desta história vê-se preso a uma cama de hospital. Apesar de imobilizado e de todos pensarem que se encontra em coma, tem os olhos abertos e está consciente, vendo e ouvindo tudo o que se passa à sua volta. Incapaz de comunicar com quem o rodeia, é tomado por um sentimento de ódio e impotência que o leva ao desespero e a invocar a morte, para acabar com o seu sofrimento. 
Nesse momento, ouve uma voz interior, um guia espiritual com quem conversa procurando encontrar um sentido para a vida. Começa então a compreender que, ao tentar fugir dos seus problemas e ao não controlar os seus pensamentos e emoções, se tornou escravo de si próprio, vivendo preso ao passado, infeliz e carregando um pesado fardo de ressentimentos, medos e sentimentos de culpa. Parte então numa viagem interior para recuperar a sua liberdade, tomando consciência de que a sua felicidade depende apenas de uma reconciliação consigo mesmo. 

Anand Dílvar é o pseudónimo usado por Francisco Javier Ángel Real, escritor mexicano com mais de 30 obras publicadas. O autor especializou-se na terapia Gestalt, usada em Psicoterapia (abordagem psicoterapêutica experiencial, baseada na tomada de consciência da experiência actual do ser humano, de uma forma global e holística), e o seu interesse por conhecer novas filosofias e técnicas de desenvolvimento pessoal levou-o a viajar para mais de 18 países, tendo conhecido comunidades espirituais e mestres de diferentes continentes, dos quais se destaca Osho, a sua maior influência. 
O seu bom humor, simplicidade e alegria enchem os seminários e conferências que dá há mais de 15 anos. No México, Anand Dílvar é frequentemente convidado pela rádio e pela televisão para partilhar a sua abordagem em relação ao que ele chama «A Revolução da Consciência». Mais sobre o autor em: www.pmpmexico.com


 
​​
Já nas livrarias, Quem Sou Eu para Julgar, de Papa Francisco, aborda diversos temas, entre os quais alguns fortes e polémicos para a Igrejadivorciados, separados, recasados, famílias em crise, presos, homossexuais, novos escravos, idosos, crianças jovens, fundamentalismo, pedofilia, máfia, eutanásia, fé e religião, homens e mulheres, sexualidade, famílias e futuro, uniões civis e laicidade, vida em comum, matrimónio, género, marxismo, ecumenismo e outras religiões, o drama do desemprego, ambiente e ecologia, o aborto, a eutanásia, a homossexualidade, a contraceção.

 
Não julgueis para não serdes julgados; Não condeneis para não serdes condenados.

Segundo o Papa Francisco, a humildade evangélica leva-nos a não apontar o dedo aos outros para julgá-los, mas a estender-lhes a mão para levantá-los, sem nunca nos sentirmos superiores. Se quisermos seguir o caminho de Jesus, mais do que acusadores, deveremos ser defensores dos outros diante do Pai. Convém recordá-lo na vida de todos os dias, quando por vezes sentimos vontade de falar mal dos outros, de os julgar.

Em Quem Sou Eu para Julgar, e com base nesta advertência, o Papa Francisco foca-se em diversos temas, sem excluir assuntos polémicos no seio da Igreja Católica – homossexualidade, aborto, contraceção, divórcio, pedofilia, eutanásia, alterações climáticas, liberdade religiosa, entre muitos outros igualmente controversos e aqui abordados.

A posição de Sua Santidade em relação a todas estas matérias e a sua profunda visão humana sobre as grandes questões da atualidade tem constituído incentivo para um frutífero debate dentro da comunidade cristã, além de ter conseguido atrair também a curiosidade e simpatia dos não crentes.
 


 

28/03/2017

Quinta Essência - DESAPARECIDA, de Elizabeth Adler



DESAPARECIDA
Elizabeth Adler
Páginas: 368
PVP 15,90€ 

Um romance pleno de mistério, paixão, intriga e glamour.

Tudo começou numa festa. Terminou com um crime, uma mulher desaparecida……e uma promessa de vingança!
Ao entardecer, na belíssima paisagem do Mar Egeu, uma mulher de cabelos ruivos cai da amurada de um iate de luxo. Em terra, o pintor Marco Polo Mahoney vê a queda, percebe que a jovem está ferida e assiste, perplexo, à embarcação a afastar-se deliberadamente. Marco tenta imediatamente salvá-la mas não a consegue encontrar.  É como se a bela ruiva nunca tivesse existido. Mas ele tem a certeza do que viu. E está disposto a tudo para resolver o mistério.
Angie Morse acabou de ser atingida na cabeça com uma garrafa de champanhe. Caiu no mar, ferida, e os seus companheiros parecem estar a abandoná-la. O iate onde ela seguia está a afastar-se, levando consigo os supostos amigos e o namorado. E, embora cada um deles tivesse algo contra si, Angie estava longe de imaginar que quisessem vê-la morta. Agora, enquanto as ondas a tentam submergir, invade-a um sentimento apenas: raiva. É a raiva que lhe vai dar forças para sobreviver… e também para se vingar…

Sobre a autora:
Elizabeth Adler é britânica. Autora de mais de vinte romances, é reconhecida internacionalmente pelas suas histórias envolventes que combinam de forma magistral mistério, amor e destinos de sonho. Os seus livros estão publicados em vinte e cinco países, com mais de quatro milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Adler e o marido viveram em vários países até que fixaram residência em La Quinta, Califórnia, onde passam dias tranquilos na companhia dos seus dois gatos.


Convite para a tertúlia «O Universo de Jane Austen nos dias de hoje»

Com a presença de Helena Vasconcelos, crítica literária e autora de Não Há Tantos Homens Ricos Como Mulheres Bonitas Que os Mereçam; Pedro Cordeiro, jornalista; e Pedro Mexia, poeta, cronista e crítico literário, a tertúlia será aberta ao público e terá entrada gratuita. 


Porto Editora - O primeiro romance de Francisco José Viegas

Título: Regresso por um rio
Autor: Francisco José Viegas
Págs.: 144
PVP: 15,50 €

Escrito em 1987, Regresso por um rio tem agora, passados 30 anos, uma nova edição
Francisco José Viegas tinha 26 anos quando publicou o seu primeiro romance, Regresso por um rio. Três décadas depois é lançada uma nova edição deste livro, a 30 de março, pela Porto Editora.
Tendo como pano de fundo uma estranha vaga de mortos no rio Douro, este romance é sobretudo uma homenagem à terra onde o autor nasceu e cresceu, a região de Trás-os-Montes e Alto Douro, ao Pocinho e outras vilas vizinhas, mas também às pessoas, principalmente aos mais velhos vistos pelos olhos da infância. Regresso por um rio é ainda um livro de memória, mistério e beleza onde já são dadas algumas pistas do que viria a ser a vasta obra deste autor que conta já com mais de 12 romances publicados, mas também livros de poesia, crónica, teatro e viagens.

Sinopse:
História íntima do rio do autor, o Douro destas páginas, muito longe do cartão de visita dos dias de hoje, surge como um enigma de dimensão mágica que invade a própria linguagem de que se faz este livro. Fantasmagoria que encerra em si algo de sagrado, puro, pode ser lido como num sonho, as personagens pairando sobre as palavras sem um traçado completamente definido. Há, no entanto, um triângulo que podemos identificar: Aníbal, Catarina - o vestido branco, claro, comprido, as rendas, os braços nus - e Henrique, cujo destino, entregue à vontade da poeira e dos ventos, não resistirá ao chamamento do rio.
Publicado originalmente há trinta anos, neste que foi o seu primeiro romance, Francisco José Viegas regressa, com o rio para lá da janela do comboio, às memórias da sua infância, aos seus cheiros e sons, à terra e às suas vozes. Uma homenagem aos segredos e à vida do Douro, que indicia pistas de uma carreira literária que o futuro veio a confirmar e de um género que viria a reinventar à sua medida, o policial.
«Podes vasculhar por toda a eternidade em baús cheios de fotografias antigas, pequenas e grandes maravilhas, arquivos e papéis velhos, o rosto dela está aí: um anjo bate as asas levemente, o seu rosto é o de uma mulher cuja melancolia arrasta consigo a poeira da tarde. Quando o viste pela primeira vez?» 

Sobre o autor:
Francisco José Viegas nasceu em 1962. Professor, jornalista e editor, é responsável pela revista Ler e foi também diretor da revista Grande Reportagem e da Casa Fernando Pessoa. De junho de 2011 a outubro de 2012 exerceu o cargo de Secretário de Estado da Cultura.
Colaborou em vários jornais e revistas, e foi autor de vários programas na rádio (TSF e Antena Um) e televisão (Livro Aberto, Escrita em Dia, Ler para Crer, Primeira Página, Avenida Brasil, Prazeres, Um Café no Majestic, A Torto e a Direito, Nada de Cultura). Da sua obra destacam-se livros de poesia (Metade da Vida, O Puro e o Impuro, Se Me Comovesse o Amor) e os romances Regresso por um Rio, Crime em Ponta Delgada, Morte no Estádio, As Duas Águas do Mar, Um Céu Demasiado Azul, Um Crime na Exposição, Um Crime Capital, Lourenço Marques, Longe de Manaus (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005), O Mar em Casablanca, O Colecionador de Erva e A Poeira que Cai sobre a Terra e Outras Histórias de Jaime Ramos.

Imprensa:
«Contam-se pelos dedos (de uma mão?) os anti-heróis da ficção portuguesa que perduram, ganhando substância na memória dos leitores. Um desses heróis é Jaime Ramos.» Visão
«Com os seus livros, Francisco José Viegas dá uma reviravolta no modelo do romance policial. Um estilo de alto voo.» Le Point
«A sua meteorologia atormentada transforma-se numa metáfora do destino humano.» Le Monde
«Viegas reinventa um género (o policial), e, acima de tudo, faz uma notável biografia de Portugal.» Expresso
«O que menos interessa é o enigma policial. Viegas constrói seus personagens como seres abandonados no mundo, e desenha paisagens únicas, de cinema.» Folha de São Paulo

Amarguinha Tem Um Irmão, de Tiago Rebelo (infantil)



AMARGUINHA TEM UM IRMÃO
Tiago Rebelo e Danuta Wojciechowska
Páginas: 56 
PVP 8,50€

Amarguinha tem um irmão é o segundo livro da sério “Amarguinha”, a menina com grandes olhos castanhos e que não gosta de doces, daí o seu nome. Este livro aborda o tema da chegada de um irmão, quando as crianças são filhas únicas.
Amarguinha faz 9 anos e recebe a noticia que vai ter um irmão! A mãe preparou um lanche para ela festejar o aniversário com os seus dois melhores amigos, Branca e Martinho. Mas há mais surpresas, uma bicicleta linda com campainha e tudo! Quando Amarguinha pensava que já não haveria mais presentes, recebeu o melhor de todos: ia ter um irmão!
Os meses foram passando e a ansiedade de Amarguinha crescia. Até que chegou o grande dia e Miguelinho nasceu. Amarguinha sentiu-se a menina mais feliz do mundo, pois agora teria alguém com quem partilhar as brincadeiras.

Sobre o autor:
Tiago Rebelo é um escritor que nos faz procurar compreender quem somos através das suas histórias empolgantes e das suas personagens consistentes. Com mais de uma década de produção literária recheada de êxitos, é um dos autores preferidos do público português
A sua obra está disponível em países como Angola, Brasil, Moçambique, Itália, Suíça, Argentina e Roménia. A par da actividade literária, Tiago Rebelo tem uma longa carreira no jornalismo.